Yvý Poty, Yva’á – Flores e Frutos da Terra: cantos e danças tradicionais Mbyá-Guarani

Trechos de Yvý Poty, Yva’á – Flores e Frutos da Terra: cantos e danças tradicionais Mbyá-Guarani. Organizado por Maria Elizabeth Lucas e Marília Stein. Porto Alegre: 2012, 2a edição.

 

Mbyá mboraí nhendú

Em rituais cotidianos, envolvendo todos os membros de uma aldeia que queiram participar neste momento, orientados pelos karaí e kunhã karaí dentro da opý, as músicas sagradas são perfomatizadas como parte de um complexo xamanístico junto com a dança, o fumo do petynguá (cachimbo ritual), as falas e atitudes de celebração e concentração. Promove-se diariamente, do pôr-do-sol aos primeiros raios de luz da manhã seguinte, a comunicação com as divindades, a recriação da vida, o respeito profundo (nhembojeroviá), o amor maior – a reciprocidade (mborayú), o coração grande – a coragem (pyaguaxú). (p. 35-36)

 

 

Dos dois cordofones, o termo mba’epú – “som”, “o que soa” ou ainda “som musical” – designa o violão de cinco cordas, instrumento guia do conjunto vocal. A afinação é variável e particulariza o instrumento em relação ao seu paralelo ocidental. Cada uma das cinco cordas representa uma das divindades Mbyá: Tupã, Kuaray, Karaí, Jakairá e Tupã Mirim. As músicas executadas pelo coral costumam iniciar com o mbae’pú executando sons ritmicamente rasqueados que se repetem antes de soarem os cantos, como forma de concentrar o grupo, trazer cada cantor, dançarino ou tocador para o mesmo estado de performance dos outros. (p. 38)

 

Para saber mais sobre os Mbyá Guarani

1. Obras editadas

CADOGAN, L. Ayvu Rapyta. Textos míticos de los Mbyá-Guarani Del Guairá. Asunción: Cepag, 1992 [1959].

CHAMORRO, G. Kurusu ñe’engatu – palabras que la historia no podría olvidar. Asunción: Centro de Estudos Antropológicos/Comin, 1995.

CLASTRES, P. A fala sagrada – mitos e cantos dos índios Guarani. Campinas: Papirus, 1990 [1974].

LADEIRA, Maria Inês. O caminhar sob a luz. São Paulo: Editora da UNESP, 2007.

LADEIRA, Maria Inês. Espaço Geográfico Guarani-Mbya: significado, constituição e uso. São Paulo e Maringá: Ed. UEM, 2008.

LITAIFFE, A. As divinas palavras: identidade étnica dos Guarani-Mbyá. Florianópolis: Editora da UFSC, 1996.

MONTARDO, Deise Lucy Oliveira. Através do “Mbaraka”: música, dança e xamanismo Guarani. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009.

PISSOLATO, Elizabeth. A duração da pessoa: mobilidade, parentesco e xamanismo mbya-guarani. São Paulo: Editora da UNESP, 2007.

SCHADEN, E. Aspectos fundamentais da cultura guarani. São Paulo: EDUSP. 1974 [1954].

SOUZA, José Catafesto de et al. Tava Miri São Miguel Arcanjo, Sagrada Pedra: os Mbyá-Guarani nas Missões. Porto Alegre: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 2007.

(p. 29)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + 3 =