Quetzacoatl

Imagem retirada daqui

Templo de Quetzacoatl em Teotihuacán. Imagem retirada daqui: http://migre.me/uqjSo.

Há uma serpente que rasteja dentro de mim
a qual renego e acaricio,
alternando culpa e orgulho,
pureza e escárnio.

Meiga má menina mulher
velha ranzinza suas manias e suas pragas
— sou todas e sou nenhuma.

Sou negra bugre índia
branquela azeda.
Meu sangue azul vermelho
sangue nenhum
— minhas veias estão vazias,
esvaíram-se em versos.

Sai, poesia, sai a passear,
leva contigo minhas tristezas
que já não as quero mais.
Leva contigo minhas maldades,
minhas mesquinhas perversidades,
carrega meu ego insaciável
e dai-lhe de beber.

E me deixe aqui sozinha,
sem mim.
Porque longe de mim
eu posso criar asas,
ser serpente emplumada,
ser da terra que tudo vê.

Michele Torinelli, agosto de 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*