O processo de construção de uma comunicação agroecológica na Escola Latino Americana de Agroecologia

Imagem: Wellington Lenon / MST

Imagem: Wellington Lenon / MST

Por Michele Torinelli / Vida Boa

Publicado originalmente no site da ELAA

 

O seminário de 11 anos da ELAA – Escola Latino Americana de Agroecologia, que inicia hoje (27) e vai até sábado (29), além de celebrar e avaliar a trajetória da Escola, conta com uma cobertura diferenciada. Transformamos o sótão da secretaria da Escola num grande laboratório para aprendermos a exercer o direito à comunicação coletivamente. Mídias sociais, site, texto, foto, áudio, vídeo e jornal mural são as frentes da cobertura colaborativa do evento. Essa experiência de gestão compartilhada envolve trabalhadoras(es), educandas(os), colaboradoras(es) e a comunidade, e terá continuidade na comunicação da ELAA.

Além do site, construímos o manifesto por uma comunicação agroecológica, que constitui a linha editorial desse processo participativo e explica a proposta. Tudo isso não surgiu do nada, mas é resultado de diálogos e práticas anteriores. O tema ganhou destaque no Projeto Flora – Reflorestando a Reforma Agrária, uma iniciativa do Instituto Contestado que tem um olhar todo especial para a comunicação – enquanto parte constitutiva do projeto, e não apenas acessório de divulgação. No artigo Comunicação tem gosto?, integrantes do projeto discutem essa apropriação a partir do questionamento do termo público-alvo – e a própria comunicação se torna o alvo de reflexão.

QG comunicacao

Galera no QG da comunicação

Em agosto realizou-se um debate sobre comunicação compartilhada e direito à comunicação com os educandos da ELAA, que foi feito novamente com a juventude do acampamento na última segunda (24) para alinhar a proposta de gestão coletiva de comunicação com os vários atores que a compõem. Na sequência tivemos uma oficina com a Rede Livre, iniciativa que desenvolve tecnologia para movimentos sociais baseada em software livre, e fizemos o site.

A cobertura do seminário é, mais do que o registro do evento em si, a construção de uma dinâmica de comunicação popular com gestão compartilhada na Escola Latino Americana de Agroecologia.

Mídia Livre, venceremos!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*